A importância do conhecimento

Tempo de leitura: 2 minutos

Conhecimento é poder…já dizia Francis Bacon!

E tão verdadeira que esta frase é! 

Sem conhecimento cometemos erros por desconhecimento. Mas quando temos conhecimento, cometer esse erro é uma escolha!

Precisamos de empedrar-nos de conhecimento para estarmos despertos e conscientes do que nos rodeia, para podermos fazer escolhas conscientes e informadas.

Na Aromaterapia não é diferente.

Os pontos mais importantes

A importância de aprender

Desde crianças que vamos para a escola aprender a ler, a escrever, a contar…a aprendizagem individual, mas também com os pares é importante para um crescimento saudável.

Na Aromaterapia, se usarmos um óleo essencial sem sabermos o que contém, para que serve e os cuidados a ter, vamos estar a facilitar dissabores.

A falta de conhecimento sobre os óleos essenciais, as suas propriedades, contra-indicações e formas de uso é o grande motivo para se fazer um uso completamente errado e perigoso.

“É natural, não faz mal”.

Esta é uma das frases que mais ouço. E isto acontece porque há falta de conhecimento. Na maioria das vezes usa-se porque a amiga disse que era bom para dormir, ou porque a vizinha também usa.

Os Óleos Essenciais apesar de serem compostos naturais extraídos de plantas, cascas, folhas, flores, etc, são moléculas químicas naturais e são extremamente concentrados! Us uso indevido pode causar irritação na pele ou mesmo queimaduras! Até disso nem todos os Óleos Essenciais podem ser usados por toda a gente. 

Precauções

É importante fazermos formação, mesmo a título pessoal e familiar para evitarmos erros que podem sair-nos caros.

Existem óleos essenciais que não são seguros para bebés e crianças pequenas por serem neurotóxicos, ou causarem espasmos da laringe, por exemplo. 

Nas grávidas e mães a amamentar também precisamos de ter muitos cuidados com a utilização de determinados óleos essenciais.

Em idosos, em animais de estimação, em pessoas com tensão alta e baixa (há óleos que elevam a tensão e outros que a reduzem), pessoas que tomam medicação regular, bem como com epilépticos e asmáticos por exemplo. Se não tivermos conhecimento podemos despontar crises graves e desencadear situações bem complicadas e graves a estes grupos de risco.

Utilização segura

Muitas das pessoas e famílias que me chegam, usam os óleos essenciais de forma incorreta, muitas até perigosa. Tudo por desconhecimento ou por obterem informação pouco fidedigna.

Aprender, aprender, aprender

É imperativo aprender, ganhar confiança e autonomia no uso dos óleos essenciais. Só desta forma nos conseguimos tornar autónomos e fazer um uso seguro no nosso dia a dia familiar sem colocar ninguém em risco. Assim consegues perceber que óleo essencial necessitas para determinada situação e tens a capacidade e o poder de perceber e decidir se o vais usar em difusão, aplicação tópica ou ingestão.

A qualidade!

às vezes pode acontecer até saberes de que forma podes usar os teus óleos essenciais mas não saberes escolher óleos essenciais de qualidade. E isto é também um problema, porque se os óleos não tiverem qualidade, tu não vais beneficiar de nenhuma propriedade. Pode parecer simples, mas a verdade é que cada vez mais há muita escolha de óleos essenciais no mercado e nem todos cumprem os requisitos de qualidade.
No Clube todas as famílias aprendem a saber escolher o óleo essencial de qualidade e até a fazerem as diluições para terem sempre à mão e usarem em diversas necessidades familiares.

O que nunca pode faltar?

Apoio, entreajuda, acompanhamento e partilha entre pessoas, famílias, Aromaterapeutas e profissionais de outras áreas. Sempre que fores escolher um curso, uma formação, aprender mais, lembra-te que é muito importante haver apoio no processo, sentires-te acolhida, compreendida.

Segue as redes sociais do CPAI

Leave a Comment

Scroll to Top